2017 termina com mulheres em alta no cinema

Navegar por...

2017 foi um ano e tanto para as mulheres no cinema. De personagens secundários na trama, elas tomara a frente de longas e terminaram o ano em alta nas bilheterias.

A prova disso vem pelos números de bilheteria. Os três filmes mais lucrativos do mercado americano no ano passado tiveram mulheres como protagonistas. De acordo como site The Wrap, isso não acontecia desde 1958.

Naquele ano, os filmes que lideraram a bilheteria foram Ao Sul do Pacífico, A Mulher do Século e Gata em Teto de Zinco Quente, protagonizados por, respectivamente, Mitzi GaynorRosalind RussellElizabeth Taylor. No atual ranking, os filmes que mais fizeram sucesso nos Estados Unidos estão a cargo de dois blockbusters e uma versão live action.

Quem puxou a fila foi Daisy Ridley, protagonista de Star Wars – Os Últimos Jedi. O filme que estreou no último dia 14 de dezembro precisou de apenas 17 dias para alcançar a marca de US$ 1 bilhão em bilheteria.

Em segundo lugar ficou Mulher Maravilha, onde Gal Gadot foi a responsável por dar vida à princesa Diana de Themyscira. O longa da DC Comics foi o primeiro filme protagonizado por uma super heroína. Ele conseguiu superar a marca dos US$ 500 milhões.

Fechando o nosso pódio, temos uma velha conhecida do grande público. Conhecida pelo papel de Hermione na franquia Harry Potter, Emma Watson protagonizou o filme A Bela e a Fera. A versão live action da animação da Disney foi um dos sucessos do último ano e arrecadou pouco mais de US$ 400 milhões.

Vale lembrar que esses números dizem respeito apenas à bilheteria norte-americana. Falando-se em escala global, A Bela e a Fera arrecadou US$ 1.2 bilhões, enquanto Mulher Maravilha passou da casa dos US$ 800 milhões. Por ainda estar em exibição nos cinemas, Star Wars – Os Últimos Jedi ainda não tem números definitivos.


Este post só foi possível com a ajuda de Marilene Melo e outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui.

Comentários

comentário(s)