Artista cria região Pokémon inspirada no Brasil

Navegar por...

Independente da plataforma, todos sabemos que Pokémon, além de sucesso, é a paixão de milhões de treinadores. Criado por Satoshi Tajiri em 1996, a franquia rende até hoje, seja no desenho, jogos de carta ou em Pokémon Go, que está em sua segunda geração.

Um dos conceitos mais legais com que ele trabalha é o de região. A cada nova parte do mundo pokémon, no jogo ou no anime, o treinador descobre uma nova variedade de monstrinhos. Atualmente, existem 738 diferentes tipos de pokémon, distribuídos ao longo de sete gerações, de Kanto até Alola.

Cada uma das regiões tem inspiração e locais reais. As regiões de Kanto, Johto, Hoenn, e Sinnoh representam todas partes do Japão; especificamente Kantō, Kansai, Kyushu, e Hokkaido, respectivamente. Unova é inspirado em Nova Iorque, Kalos tem referências de Paris e Alola seria o Havaí.

Para a nossa infelicidade, o Brasil ainda se encontra fora dessa brincadeira, pelo menos de forma oficial. Mas para a nossa sorte, um desenhista mostrou ao mundo que “isto aqui, ô ô. É um pouquinho de Brasil iá iá” e começou a criar uma região pókemon inspirada na Terra dos Papagaios.

Florillo, Flaguar e Suriqua, os pokémon iniciais da região de Brasar

Florillo, Flaguar e Suriqua, os pokémon iniciais da região de Brasar

A iniciativa deste projeto foi tomada pelo artista Diego Guilherme Souza. A inspiração para a criação dos novos personagens está na cultura, fauna e flora brasileira. Mas essa expansão de universo não para somente nos monstrinhos.

Além deles, Guilherme também deu vida ao líderes de ginásio que o treinador pokémon precisará derrotar, caso queira reunir as suas insígnias. A imagem de destaque deste post, por exemplo, mostra a treinadora Marissol. Além disso, a versão da região de Brasar tem a Professora Jatobá como guia.

Um ponto interessante é que, além de criar pokémon autorais, o artista ainda desenvolveu evoluções e pré-evoluções de alguns que já existem. Lantis, por exemplo, seria uma evolução do Chinchou.

Outro exemplo é Alsea, uma evolução do Gloom, quem também evolui para Villeplume e Belossom.  A grande sacada desta evolução é a forma como acontece. Assim como o Gloom só evolui para Belossom através uma Sun Stone (Pedra do Sol), o treinador só consegue uma Alsea através da “Emerald Seaweed“, uma espécie de alga que só pode ser encontrada em Brasar.

19106026_812011922309759_1352742892809957189_n

Lantis e Alsea, duas evoluções de pokémon já criados

O trabalho desenvolvido pelo Guiherme na criação da região de Brasar é simplesmente incrível e merece o aplauso (e apoio) de todo o mestre pokémon do Brasil. Se você gostou do trabalho dele, deixe seu like na página do projeto, a United Regions. Além disso, visite sua página no Deviantart, onde você poderá conhecer todos os pokémon já criados por ele.

Lembrando que a galeria a seguir é apenas uma pequena amostra de suas criações.


Este post só foi possível com a ajuda de André Cabrero e muitas outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui.

Comentários

comentário(s)