As ondas do rádio através da sétima arte

Navegar por...

Talvez não saiba, mas a última segunda feira foi um dia muito especial para muita gente. Por todo o globo, o dia 13 de fevereiro é conhecido como “Dia Mundial do Rádio“. A data foi criada em 2011 pelo Unesco. Ela foi escolhida por representar a data da primeira emissão de um programa da United Nations Radio, a rádio da ONU, lá em 1946.

Aqui no Brasil, o rádio também já é um amigo de velha data. A primeira experiência com rádiodifusão é datada em 7 de setembro de 1922. Apesar de existirem alguns grupos de rádio amadores, como a Rádio Clube Pernambuco, a primeira emissora brasileira (e regulamentada) a operar com o rádio foi a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro.

Apesar de já ter usado essa expressão, o rádio também me é um amigo de longa data. Desde que me entendo por gente, ele sempre esteve presente na minha vida. Desde os começos de noites, ouvindo o programa do Dito Leite, até o meu próprio programa na webrádio da faculdade. Isso sem contar estágio e curso feito nessa área.

Com isso em mente, e aproveitando o dia que se comemorou na segunda, resolvi unir o útil ao agradável. Como sou o responsável por falar de filmes aqui, vou dar algumas dicas de títulos que tratam deste veículo apaixonante como fio condutor. Todos eles vão mostrar, de um jeito ou de outro, a importância que o rádio pode tomar na vida das pessoas.

Se liga só:

Good Morning, Vietnam (Bom Dia, Vietnã – 1988)

Bom Dia, Vietnã

Esse é um filme que mistura três elementos aos quais eu gosto muito: comédia, drama e guerra. Ele conta a história de Adrian Cronauer, brilhantemente interpretado pelo saudoso Robin Williams.

Cronauer é um DJ designado a atuar na Rádio Saigon, no Vietnã, durante a guerra envolvendo os dois países. Ele é o ponto de contraste na emissora comandada por militares. Enquanto a maioria dos profissionais que ali atuam seguem uma linha tênue e calma, beirando o insuportável, Cronauer é o ponto fora da curva, indo contra os padrões, com uma locução e músicas pra lá de animadas. Veja aqui

O filme ainda faz diversas críticas ao combate armado, ficando evidente em uma cena que envolve a rádio e a música What a Wonderful World, de Louis Armstrong, mas esse não é o nosso ponto.

Uma das mensagens mais bonitas é o quanto o rádio pode influenciar na vida das pessoas, atuando como uma forma de resistência, seja para dar ânimo, ou para lutar contra padrões impostos por alguém.

Uma Onda no Ar (2002)

Uma Onda no Ar

Para os fãs de rádio, esse é um filme nacional que acaba sendo obrigatório você conhecer.

Dirigido por Helvécio Ratton, o longa conta a história da Rádio Favela, uma emissora comunitária localizada no Aglomerado da Serra, um complexo de 11 favelas em Belo Horizonte/MG. Atuando originalmente dentro da comunidade, a rádio logo cai nas graças do povo de lá, fazendo sucesso entre todos.

O problema é que, por ser uma rádio pirata (estação de radiodifusão em situação ilegal por não ter autorização de funcionamento expedida pelas autoridades governamentais competentes. As rádios piratas são radiodifusoras desautorizadas cujo sinal tem potência suficiente para atingir potenciais ouvintes), isso acaba trazendo diversos problemas e inimigos para a emissora.

Baseado em fatos reais, a emissora ganhou alguns prêmios ao redor do mundo. Vale destacar dois da ONU, em campanhas de combate às drogas e um Córdoba, na Espanha, por dar voz a quem não tem.

Radio Rebel (2012)

Radio Rebel

É um filme adolescente? É. Mas, qual é. Não sejamos tão mente fechada.

Esse filme é mais um entre tantos que retratam adolescentes com problemas de timidez. Tara, interpretada por Debby Ryan (Zack e Cody – Gêmeos a Bordo) é uma estudante tímida e que não possui muitos amigos no ensino médio.

É claro que isso muda. Em posse de seus fones e microfone, a garota se transforma, virando a “rebelde da rádio”. Em seu programa, transmitido de seu quarto, a garota usa um modulador de voz e fala sobre temas do seu dia, principalmente envolvendo coisas da escola.

A situação muda qual seu padastro descobre que ela, aquela garota tímida, é responsável por tamanho barulho. Empolgado com isso, ele cede um espaço em sua emissora para a garota que, ao mesmo tempo que aumenta sua popularidade, ela acaba gerando inimizades, seja com a garota popular ou com o diretor da escola.

The Boat That Rocked (Os Piratas do Rádio – 2016)

Os Piratas do Rock

O filme é inspirado na revolução das rádio piratas do Reino Unido na década de 1960. E por pirata, leve essa palavra ao pé da letra, já que ela era transmitida de um barco, em águas internacionais.

Na época, a BBC, principal emissora britânica dava pouquíssimo espaço em sua grade para o rock e o pop, apostando, basicamente, em música erudita. Indo de contra, a emissora pirata apostava no rock ‘n’ roll e exibia o ritmo 24 horas por dia e alcançando 25 milhões de pessoas da Inglaterra, que valia a 50% da população na época.

Claro que por ser pirata, a emissora é alvo de problemas com representantes do governo, que tenta, a todo custo, tirar a emissora do ar. Em alguns momentos, a aura do rock resiste, mas isso não dura para sempre.

Dentre as participações, temos a presença de atores consagrados, como Bill Naghy e Philip Seymour Hoffman.

Special Correspondents (Correspondentes Especiais – 2016)

Special Correspondents

Esse é um filme que mostra uma das coisas que encantam no rádio: poder ser a testemunha ocular da história, como dizia o Repórter Esso, mas mesmo sem estar no local.

Original Netflix, o filme retrata a história de um locutor e um técnico de som de uma emissora de Nova Iorque. A dupla é designada para cobrir uma revolução que acontecia no Equador, mas por conta de alguns acontecimentos, eles não vão.

Para evitar problemas na emissora, eles começam a transmitir o ocorrido como se estivessem lá, mas escondidos em uma casa próxima da emissora. Conforme as coisas vão evoluindo, eles se veem cada vez mais encurralados, até mesmo em suas mentiras. Tudo começa a desandar quando eles forjam o próprio sequestro, deixando o país todo aflito.


Este post só foi possível com a ajuda de Murilo Rosela e muitas outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui.

Comentários

comentário(s)