Game of Thrones acabou, o que assistir no lugar?

Navegar por...

Game of Thrones encerrou sua sétima e penúltima temporada no último domingo, 27 de agosto, e as últimas notícias sugerem que a série retorna só em 2019.

Sim, 2019. Prepare-se para sofrer com a ausência da série.

Há males que vem para o bem. Por que não aproveitar esse tempo sem GoT e tirar da geladeira aquela série que você sempre quis assistir, mas nunca teve tempo?

Vem cá que eu te ajudo, abaixo listo quatro séries que você pode maratonar enquanto Game of Thrones não volta.

Battlestar Galactica (2003-2009)

A série, exibida pelo Syfy de 2003 até 2009, acompanhava a raça humana viajando no espaço em fuga após o ataque dos cylons, uma raça robótica que a própria raça humana criou. No comando dos sobreviventes, o General William Adama (Edward James Olmos) lida com a ameaça dos cylons e dos podres da sociedade a bordo da Galactica, uma nave de combate que protege o que restou da raça humana.

Apesar de soar como uma ficção científica genérica, Battlestar Galactica ganha boas dimensões ao trabalhar ciência, religião e política dentro da sua premissa e mitologia bem amarrada. Ao buscar sempre trazer dimensões críveis para seus personagens, a série é um bom exemplo de como existe um espaço pouco explorado para ficção científica competente na TV.

É uma série relativamente antiga, mas grande parte dos assuntos abordados permanecem relevantes, vale a conferida.

Chuck (2007-2012)

Criada por Chris Fedak (DC’s Legends of Tomorrow) e Josh Schwartz (Gossip Girl), Chuck foi exibida pela NBC entre 2007 e 2012 e contou com cinco temporadas.

A série acompanhava Chuck Batwoski (Zachary Levi), um técnico de T.I. que acidentalmente tem um supercomputador da CIA baixado no seu cérebro. De posse de informações confidenciais, ele se torna protegido de um agente da NSA (Adam Baldwin) e da CIA (Yvonne Strahovski), e é convocado para missões de alto risco.

Quer você queira ou não, quem é fã de Game of Thrones tem um pé no mundo nerd, por isso a identificação com os personagens de Chuck é, na certa, imediata. A série trata o público nerd com respeito e faz piadas com esse universo sem necessariamente cair em estereótipos.

Chuck é uma série leve e divertida que contou ao longo das temporadas com participações especiais como Mark Hamill, Chevy Chase, Linda Hamilton, Carrie-Anne Moss, Matt Bomer, Timothy Dalton e Kristin Kreuk.

It’s Always Sunny in Philadelphia (2005-)

A única comédia dessa lista e também a única série em exibição está atualmente na sua 12ª temporada, ou seja, dá pra maratonar seus mais de 150 episódios de 30 minutos até a volta de Game of Thrones em 2019. Relaxa que dá tempo, sim.

It’s Always Sunny in Philadelphia, exibida pelo FX, acompanha a vida de cinco amigos – Mac (Rob McElhenney), Dennis (Glenn Howerton), Charlie (Charlie Day), Frank (Danny DeVito) e Dee (Kaitlin Olson) – que comandar um pub na Filadélfia.

De longe uma premissa simples, a maioria das comédias no ar tem essa dinâmica de amigos que entram em situações cômicas. A diferença é que na série nenhum dos personagens prestam, são indivíduos completamente egocêntricos e orgulhosos que tentam levar vantagem sempre que possível, mas na maioria das vezes se dão mal.

É uma série praticamente desconhecida do grande público, mas que se mantém no ar por ter um roteiro extremamente afiado, inserindo sutis críticas à comportamentos da sociedade no meio de episódios com situações que beiram o absurdo. Vale a pena acompanhar, a série apresenta momentos memoráveis de rolar no chão de rir.

Pense que a série é uma versão de Friends com pessoas desprezíveis.

Damages (2007-2012)

Com cinco temporadas, Damages foi uma série exibida pelo FX (temporadas 1 a 3) e pela DirecTV (temporadas 4 e 5) entre 2007 e 2012. Protagonizada por Glenn Close e Rose Byrne, a série mostrava a relação entre a poderosa advogada Patty Hewes (Close) e a recém formada Ellen Parsons (Byrne).

Damages chamava a atenção pela excelente construção de suas personagens principais mesclado às excelentes atuações de Close e Byrne, além do elenco de apoio que contava com nomes de peso Tate Donovan, Ted Danson, Martin Short, Marcia Gay Harden e William Hurt.

Além disso, a série brincava com flashbacks e flashforwards antes mesmo de How to Get Away With a Murder fazer isso parecer novidade (quem começou com isso foi Lost, sejamos francos). A diferença entre Damages e a série de Viola Davis é que Damages fazia isso com competência, e não apenas pra prender a audiência.

Cancelada pelo FX após três excelentes temporadas, a série foi salva pelo DirecTV para mais duas temporadas que foram muito abaixo da qualidade da série. Se você for maratonar, sugiro parar pela terceira temporada, ela tem um fechamento satisfatório da série.

E aí, o que você vai assistir enquanto Game of Thrones não volta? Deixa nos comentários!


Este post só foi possível com a ajuda de Murilo Rosella e outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui.

Comentários

comentário(s)