A genialidade sonora e visual de OK Go

Navegar por...

OK Go é uma banda que voa abaixo do radar para muita gente, você provavelmente já deve ter visto algum clipe deles sem nem ao menos saber de quem se trata. A banda, formada por quatro amigos de Chicago chamam a atenção pelos seus clipes criativos. Como é o caso do clipe de “Obsession“, lançado na última sexta-feira (24) e que contou com o uso de 567 impressoras para criar um mural interativo em sincronia com a música. Confira:

Formada por Damian Kulash Jr. (vocais e guitarra), Tim Northwind (baixo e vocais), Dan Konopka (bateria) e Andy Ross (guitarra, teclado e vocais), o grupo está em atividade desde 1998 e teve até o momento quatro álbuns de estúdio lançados.

Mesmo com bastante tempo de estrada, o grupo demorou a assumir a identidade divertida e colorida de atualmente. Seu primeiro álbum, OK Go, de 2002, usava a guitarra com abundância, soando com muitas das bandas de rock da época, como Weezer e The All-American Rejects.

Ainda assim, o álbum teve relativo sucesso e a música “Get Over It” chamou atenção por sugerir que a banda adotaria clipes mais divertidos e com boas sacadas visuais. No caso desse primeiro álbum, Andy Ross ainda não era o guitarrista da banda, o posto era ocupado por Andy Duncan, que saiu em 2005 para a entrada de Ross.

A partir do segundo álbum, Oh No, de 2005, foi que o OK Go começou a trabalhar o status de “banda mais criativa dos últimos anos” que detém atualmente. Numa época em que a internet ainda estava começando a mostrar a que veio, o clipe de “A Million Ways“, filmado no jardim da casa de Kulash, se tornou viral e alavancou a popularidade da banda.

Detalhe que o vídeo não era para ser o clipe oficial da música, mas em vista da popularidade que ele atingiu, não faria sentido ignorar o sucesso. Além disso, Ross lançou um site promocional da música que incentivava os fãs a compartilharem o endereço com os amigos em troca de downloads gratuitos da música.

O sucesso de “A Million Ways” foi a confirmação que Kulash e os demais membros do OK Go precisavam para investir de vez em clipes que fugiam do modelo tradicional. A partir desse momento, surgiu o clipe de “Here it Goes Again“, com os quatro integrantes realizando uma coreografia em cima de esteiras.

O clipe viralizou e ganhou o Grammy de 2007 na categoria de Melhor Videoclipe.

Musicalmente, o OK Go evoluiu pouco entre o primeiro e segundo álbum, mantendo músicas mais voltadas para o rock dançante (casos de “Invincible“, “Do What You Want“), mas com eventuais experimentações de elementos eletrônicos. Nada tão diferente quanto com Of The Blue Colour of The Sky, terceiro álbum da banda lançado em janeiro de 2010.

Junto de uma sonoridade mais dançante, com elementos de funk e eletrônica, Of The Blue Colour of The Sky marcou o rompimento do OK Go com a Capitol Records, gravadora que estava com eles desde o primeiro disco. O rompimento veio pelo descontentamento dos fãs e da própria banda pelas políticas de distribuição da gravadora.

O grupo lançou o selo Paracadute de forma independente para distribuir os álbuns sem depender das políticas muitas vezes limitadoras das gravadoras tradicionais. Mais uma vez, o OK Go optava por um estilo de trabalho DIY (faça você mesmo) do que seguir as regras de uma industria fonográfica que tomava duros golpes por conta do aumento da pirataria.

Of The Blue Colour of The Sky é uma mudança brusca no som do OK Go, mas ainda mantendo sua identidade descompromissada e divertida. Também foi a partir desse álbum que o grupo abraçou de vez os clipes criativos, investindo pesado nessa identidade, como é o caso do clipe de “This Too Shall Pass“, que utiliza a Rude Goldberg Machine (uma engenhoca que vai aos poucos se tornando mais e mais maior e complexa). O clipe foi patrocinado pela State Farm Insurences, uma seguradora automotiva americana.

Outros clipes de Of The Blue Colour of The Sky seguiram o mesmo padrão de ser patrocinado por uma marca, como os clipes de “Needing/Getting” (Chevrolet), “All Is Not Lost” (Google Chrome) e, mais recentemente, no já citado clipe de “Obsession” (Double A).

O mais recente álbum do grupo, Hungry Ghosts, manteve a sonoridade apresentada no disco anterior e os clipes criativos também. A começar por “The Writing’s on the Wall“, primeiro single do disco que brincava com ilusões de ótica em seu videoclipe.

Outras músicas de Hungry Ghosts ganharam clipes que viralizaram, caso de “Upside Down & Inside Out“, filmado em gravidade zero, “I Won’t let You Down“, filmado num estacionamento abandonado no Japão com o uso de drones e “The One Moment“, filmado em câmera lenta para pegar a sincronia do vídeo com a musica. Todos provocando reações de surpresa nos fãs e nos mais desavisados.

Em abril de 2017, Damian Kulash Jr. e os demais membros da banda deram uma palestra no TED Talks americano (vídeo abaixo, tem legendas em português) contando sobre todo o processo de criação dos vídeos. Kulash comenta que eles apenas vão testando e mexendo um pouco até conseguir o resultado esperado, ao contrário do que todo mundo pensa, eles não planejam tanto assim os vídeos.

O interessante é que não apenas os vídeos da banda, mas também o som dela trabalha esse aspecto. São elementos aparentemente sem conexão nenhuma que ganham vida e significado quando colocados juntos. É uma liberdade em experimentar que poucas bandas e artistas tem atualmente. Infelizmente o estilo musical não é algo que agrada à todos, mas vale a pena dar uma chance.

Qual seu clipe favorito do OK Go? Deixe nos comentários!


Este post só foi possível com a ajuda de Murilo Rosella e muitas outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui.

Comentários

comentário(s)