Legion e os X-Men fazendo as vezes de Mr. Robot

Navegar por...

Depois de um início promissor com filmes que deram um bom pontapé nas adaptações cinematográficas de personagens dos quadrinhos. Os X-Men começaram a patinar com filmes que apresentavam tramas pouco empolgantes com uma linha do tempo confusa e que amplificava mais ainda a tal da trama desinteressante.

Sim, tivemos bons momentos do X-Men no cinema, como X-Men: O Filme (2000), X-Men 2 (2003), X-Men: Primeira Classe (2011) e Deadpool (2016). Mas a popularidade dos X-Men está em baixa atualmente, por mais que as pessoas estejam empolgadas com Logan, o último filme de Hugh Jackman no papel do mutante Wolverine.

A criação de Jack Kirby e Stan Lee sempre teve um porto seguro na televisão. O desenho animado dos X-Men que durou de 1992 à 1997 e a popular X-Men Evolution (2000-2003) são provas disso e o anúncio de Legion, uma série que adapta o universo dos X-Men para a TV, significa muito para os fãs dos personagens ávidos por boas adaptações.

Vale lembrar que Legion se aproveita de um bom momento para os heróis na TV, temos todo o Arrowverse (Arrow, Supergirl, Legends of Tomorrow e The Flash) e Powerless com personagens da DC. Além da Marvel com Agents of S.H.I.E.L.D. e as séries da Netflix.

legion002

Na série, David Haller (Dan Stevens) é um homem que é internado num hospital psiquiátrico após tentar se enforcar numa atitude para cessar as constantes vozes e alucinações que atormentavam sua cabeça.

Na busca por se recuperar, ele se envolve com a enigmática Syd Barrett (Rachel Keller), recém-internada no hospital e com pavor de contato físico (me identifiquei).

O que David nem desconfia é que sua aparente loucura é movida pelo fato dele ser um dos mutantes mais poderosos do mundo. Syd sabe dos poderes de David, e uma organização secreta também, e ambos tentarão conquistar a confiança de David.

Nos quadrinhos, David Haller é o mutante conhecido como Legião e filho de Charles Xavier. Os poderes telepáticos de Legião, nos quadrinhos, permitiam que ele absorvesse os pensamentos das pessoas que matava quando os poderes ainda não estavam totalmente controlados. Essa característica dos poderes de David fez com que ele adquirisse múltiplas personalidades.

legion004Ainda não sabemos quais partes do material original serão utilizadas na série, duvido que adaptarão a história de David ser filho do Professor Xavier. Mas talvez a presença de Lenny (Audrey Plaza) como uma das constantes alucinações de David pode ser um indicio de que as múltiplas personalidades será um tópico a ser explorado pela produção.

Legion tem uma excelente equipe criativa por trás das câmeras, Noah Hawley, criador da série, é responsável por Fargo, sucesso de crítica e público, além, é claro, de Stan Lee e John Byrne. E o elenco da série conta com bons nomes também, Dan Stevens é um ator carismático e segura bem no papel principal entregando as peculiaridades de David com competência, Aubrey Plaza podia interpretar um poste e ainda assim seria incrível.

Bacana da construção dos personagens de Plaza e Stevens é que sobra espaço para boas gags cômicas que melhoram a experiência de um piloto problemático.

O primeiro episódio soa arrastado em muitos momentos, para não dizer que foi tedioso. A estética e fotografia da série são ótimas e ela ainda conta com bons efeitos. Mas a falta de ritmo estraga as chances de uma boa primeira impressão.

legion001

Legion pega muito o que Mr. Robot e muitas outras séries andam fazendo em usar sua linguagem e estética para brincar com o espectador e a compreensão que ele tem da trama, o que é uma coisa boa, mas a falta de ritmo desse primeiro episódio faz Legion parecer uma cópia mutante e preguiçosa de Mr. Robot.

A série tem uma proposta e estética excelente e promissora, além de representar um sopro criativo nas adaptações de quadrinhos para TV, um nicho que pode começar a sofrer um cansaço. Entretanto, a execução desconjuntada nesse primeiro episódio de Legion a coloca no hall das séries que podem ficar muito boas, ou muito ruins.

Infelizmente, Legion teve uma estreia no FX com baixos índices de audiência. Não precisa ser telepata para ficar preocupado.

Assistiu Legion? Deixe seus comentários 😉


Este post só foi possível com a ajuda de Marilene Melo e muitas outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui.

Legion (FX, 2017-)

Legion (FX, 2017-)
6,8

Roteiro

5/10

    Atuação

    8/10

      Fotografia

      9/10

        Trilha Sonora

        7/10

          Edição

          5/10

            Pros

            • Excelente fotografia
            • Abordagem criativa para adaptações de quadrinhos para a TV
            • Boas atuações

            Cons

            • Episódio piloto arrastado e desinteressante
            • Semelhanças em excesso com Mr. Robot na sua linguagem

            Comentários

            comentário(s)