NBA Playgrounds – O Jam ao alcance da nova geração

Navegar por...

Durante os anos de 1990, a NBA (liga norte americana de basquete) se curvou perante a um time. Entre 1990 e 1999, o Chicago Bulls, sob a batuta de Michael Jordan, venceu nada menos que seis campeonatos. Ao longo dos dois tri campeonatos, a equipe de Chicago bateu cinco equipes diferentes e Jordan levou o prêmio de MVP todas as vezes.

No fim do primeiro tri, em 1993, aquela geração conheceu um dos jogos de vídeo game mais legais voltados ao basquete. Naquele ano, o NBA Jam chegou aos mercados. Em teoria, a premissa parecia ser simples. Um jogo de 2 contra 2. Até aí, nenhuma novidade, já que a Midway, desenvolvedora do game, lançara algo semelhante em 1989, o Arch Rivals. Mas como eu disse, só a premissa parecia simples.

O NBA Jam foi o primeiro game de basquete a ter o licenciamento da marca, ou seja, times e jogadores reais. Além disso, a física do game não fazia jus a realidade. Atletas ganhavam “poderes” e faziam saltos gigantescos por uma enterrada. Quando se acertava vários arremessos seguidos, a rede da cesta pegava fogo. Somado tudo isso a um locutor alucinado, era a combinação de um jogo que fazia a alegria da garotada.

NBA Jam, o precursor de NBA Playground

Vinte e quatro anos se passaram e chegamos em 2017. E a garotada dessa geração ganhou a chance de sentir o que sentíamos lá atrás. Desenvolvido pela Saber InteractiveNBA Playgrounds é a bola da vez. O game, que chegou ao mercado nesta semana, desponta como uma alternativa ao NBA2K, líder do mercado de basquete.

Assim como o Jam, NBA Playgrounds não tem praticamente nada relacionado com um jogo real de basquete. Claro que temos lances de três e arremessos curtos, além de dunks (enterradas). Mas é aí que está a graça do jogo. As regras do jogo não estão presentes. A única restrição fica em relação ao tempo de ataque, reduzido para 12 segundos. Fora isso, é cada um por si.

Dribles e enterradas são cada vez mais espetaculares. Somado ao voo dos atletas, até de distâncias bem grandes, temos os pedidos de ponte-aérea (assistência no ar, seguindo de enterrada), que acaba criando cenas mais belas visualmente. Aqui não temos faltas, mas isso não interfere na jogabilidade. Outro destaque ficam para os tocos. Com o voo desproporcional dos personagens, as cenas lembram, toadas as devidas proporções, alguns embates aéreos de DBZ.

James Harden, do Houston Rockets, partindo para uma enterrada

Outro ponto bacana do jogo é a questão da busca pelo equilíbrio de sua dupla. Primeiro pelo fato de poder mesclar atletas atuais com ídolos do passado. Ao mesmo mesmo tempo que é possível ter LeBron James (Cleveland Cavaliers), Stephen Curry (Golden State Warriors) ou James Harden (Houston Rockets), para citar apenas alguns exemplos, o jogador pode atuar com lendas como Shaquille O’Neal (ex-Los Angeles Lakers), Ray Allen (ex-Milwaukee Bucks) ou Allen Iverson (ex-Philadelphia 76ers).

Além disso, cabe ao jogador equilibrar as qualidades dos atletas, que são elas: enterrada, arremessos e 2 e 3 pontos, roubos de bola, bloqueio, velocidade, resistência e rebotes. Pode não parecer a coisa mais legal do mundo, mas isso é importante na hora de buscar coisas melhores no game.

Para conseguir novos jogadores, você precisa aumentar o seu nível, seja em partidas single player, online ou, até mesmo nos torneiros. A cada nível que você avança, um pacote prata é adicionado em sua conta. Cada um conta com cinco atletas, com a possibilidade de virem repetidos. E eles possuem três níveis de qualidade: bronze, prata e ouro. Conforme você atua com eles, os níveis dos jogadores vão subindo.

Para ter mais chances de bons jogadores, é preciso vencer os torneios disponíveis no jogo. Ao todo, por hora, são seis quadras disponíveis: Nova York e Las Vegas (Estados Unidos), Londres (Inglaterra), Paris (França), Xangai (China) e Tóquio (Japão). Cada torneio vencido, um pacote ouro é dado ao jogadores com chances maiores de players lendários. Os atletas são caricatos, o que deixa o jogo ainda mais legal. A única coisa que faz falta são alguns atletas do passado, como Michael Jordan (ex-Chicago Bulls) e Kobe Bryant (ex-Los Angeles Lakers). Quem sabe em uma futura DLC.

Por não se prender ao básico do basquete, NBA Playgrounds é um jogo para lá de divertido, que prende quem o joga, principalmente se você é fã de basquete. Lançado no dia 9 de maio, NBA Playgrounds está disponível para a Xbox One, PlayStation 4, Nintendo Switch e PCs.


Este post só foi possível com a ajuda da Murilo Rosella e muitas outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui

Comentários

comentário(s)