O que é bom pode ser agora

Navegar por...

Todos nós sabemos que a frase: “O imperfeito não participa do passado”, é uma grande mentira. Nossa vida nunca foi perfeita, entretanto, a tendência é olhar para trás como se tudo que passou fosse imensamente melhor do que estamos vivendo agora.

Podemos começar com a infância. A minha, por exemplo, apesar das dificuldades, era uma delícia brincar na rua e crescer era uma grande aventura. Na adolescência, fase em que o jovem está se perdendo e se encontrando, me lembro dos mais bizarros passeios ao lado de minhas amigas. Nós não tínhamos dinheiro para nada, mas não precisávamos de muito. Boas companhias bastavam, a gente se divertida com o que tinha, e não reclamava.

A maioridade chegou e era hora de começar a pensar que curso fazer, para onde ir (ou ficar), e a criar responsabilidades. Mas com 18 anos eu era jovem demais para saber amar, portanto, perdi alguns amores, era imatura para fazer uma graduação, apesar de ter conseguido me formar com honras. Porém, toda vez que me pego pensando nessa faixa etária, lembro de momentos alegres, como quando fui ao meu primeiro show internacional de minha banda preferida, das amizades que fiz, dos projetos universitários que realizei.

Agora, formada, há dias em que sinto uma sombra do passado em meus calcanhares, como se ela me seguisse por todos os lados. O que me levou a pensar que não podemos viver acorrentados ao que já se foi. Precisamos fazer do nosso presente algo bonito e produtivo, por mais complicado tudo pareça.

O que é bom, pode ser agora. Talvez se parássemos de olhar só para o que está nos faltando, e começarmos a ser gratos pelo que temos, a vida fique mais leve. Como exercício diário para todos nós: pegue a sua vida e agradeça pelas coisas boas, pelas amizades que o cercam.

Vamos dizer: “por hoje não, por hoje o presente será tão incrível como o passado e sobre o futuro: iremos cultivar esperanças, e ele será melhor ainda.”


Este post só foi possível com a ajuda da Marilene Melo e muitas outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui

Comentários

comentário(s)