O que vi essa semana: “Rua Cloverfield, 10”

Navegar por...

Quando J.J. Abrams anunciou “Rua Cloverfield, 10” no intervalo do Super Bowl desse ano pegou todo mundo de surpresa. A produção derivada de “Cloverfield: Monstro”, lançada em 2008, foi filmada em segredo e, mesmo após anúncios, trailers e uma publicidade muito bem planejada, sua trama ainda permanecia um mistério, apenas solucionado (ou não) no exato momento em que você assiste o filme.

NEKvmQEoBS7dOL_1_a

Rua Cloverfield, 10 (10 Cloverfield Lane, 2016) acompanha Michelle (Mary Elizabeth Winstead), uma jovem que sofre um acidente e acorda dentro de um abrigo subterrâneo.  Logo, ela descobre que foi resgatada por Howard (John Goodman) e salva de um ataque nuclear ou químico, nem Howard nem Emmet (John Gallagher Jr.), outro morador do abrigo, sabe ao certo o que aconteceu, a única certeza é que algo muito ruim aconteceu.

Convencida de que Howard está louco, Michelle tenta escapar a todo custo. Mas fica a pergunta: enfrentar Howard, um monstro na segurança do abrigo? Ou tentar a sorte e enfrentar seja lá o que a aguarda do lado de fora?

Dirigido pelo estreante Dan Tratchenberg, 10 Cloverfield Lane não deixa claro em nenhum momento suas intenções. Não dá pra saber se o filme é uma continuação, prelúdio ou se passa durante os acontecimentos de Cloverfield: Monstro (Cloverfield, 2008). Os pontos de conexão entre os dois filmes só surgem através de easter eggs e a campanha viral que ocorre longe das telas. A empresa em que Rob Hawkins, o protagonista de Cloverfield, trabalha é a Slusho Corp. uma empresa de sucos (o personagem irmão dele utiliza uma camiseta com o logo do produto durante o filme de 208). Em 10 Cloverfield Lane, Howard é o funcionário do mês da Bold Futura, uma empresa de tecnologia avançada que pertence à Tagruato Company, mesma empresa que financia a Slusho Corp. logo no começo do filme, vemos a logo do Slusho em neon num posto de gasolina. Esse texto do Judão e o blog CloverfieldClues explica detalhe por detalhe as hipóteses e conexões dos dois filmes.

E por justamente não deixar explicito suas intenções, 10 Cloverfield Lane se mostra um filme sem pretensão. Uma viagem louca, pra ser mais exato. O longa começa com um suspense psicológico lindo de se ver e descamba para uma ficção cientifica que funciona muito bem, uma vez conseguem construir tensão com competência e sem perder uma linearidade.

Único ponto é que o clímax do filme, nessa mistura louca de gêneros e temáticas, puxou muito para o piloto automático. Ao revelar o que acontece na superfície, o filme adquire traços de ficção cientifica e Michelle vira um híbrido de Sigourney Weaver em Alien com Tom Cruise em Guerra dos Mundos. O próprio arco narrativo da personagem, por sinal, termina de forma bastante piegas buscando uma motivação boa e bem desenvolvida em certos aspectos, mas comum demais para um filme que se mostrou muito diferente.

O que faz 10 Cloverfield Lane uma produção excelente é o cuidado com o elenco. John Goodman é um ator excepcional e compôs Howard com cuidado, considerando as nuances e mudanças de humor do personagem. Um personagem simpático e cativante, porem perigoso. Mary Elizabeth Winstead fez muito com Michelle, poderia simplesmente encarar a personagem como uma rebelde, mas a atriz elevou a personagem a um outro patamar descobrindo camadas dentro de sua história que justificavam suas ações, de certa forma, 10 Cloverfield Lane é um filme de descoberta. Já John Gallagher Jr. Não tem muito o que fazer, Emmet serve como suporte tanto para Howard quanto para Michelle agirem, parte boa é que Gallagher é um ótimo ator e matou minha saudade dele em The Newsroom.

10 Cloverfield Lane é um filme que não escapa de problemas, mas abre espaço para inúmeras possibilidades ao encarar filmes pós-apocalípticos de outras formas, com uma linearidade fragmentada por histórias de diferentes gêneros e formatos. Este novo filme destoa muito do que era Cloverfield: Monstro em 2008 e ainda assim consegue apresentar uma identidade que os faz conversar com naturalidade. J.J. Abrams está acertando muito em trazer easter eggs e virais para promover a franquia Cloverfield, tanto que já surgiram especulações e teorias dos próximos filmes derivados.

Tem alguma teoria do que significam todas as pistas do universo Cloverfield? Deixe nos comentários 😉

 

Comentários

comentário(s)