Oscar 2016 – Apostas e Opiniões

Navegar por...

01

Depois de muita espera, o momento mais aguardado da indústria cinematográfica finalmente chegou. No próximo domingo, dia 28 de fevereiro, acontece em Los Angeles a 88ª edição do Oscar 2016.

Na edição do ano passado, eu também fiz um texto onde eu opinava sobre quais os filmes teriam mais chances de vitória. O problema daquela edição foi que, em muitas categorias, eu fui ou pelo hype ou no chute mesmo. Mas dessa vez, o sistema foi diferente.

Ao continuar com minha tentativa de ver 366 filmes em 366 dias (ano passado, parei nos 211), decidi priorizar as produções que concorriam a uma estatueta. E foram muitos filmes. Muitos mesmos. E tem de tudo: filmes de época, pós apocalípticos, temas polêmicos e temas chatos pra caramba.

Das 24 categorias que concorrem, eu consegui finalizar 20. Derrapei muito nas produções em curta metragem e filmes estrangeiros, que não são a coisa mais simples de se achar.

Tendo isso em mente, decidi voltar e opinar quais são os filmes que têm mais chances. Já aviso que a disputa tende a ser equilibrada. Não vai ser desta vez que veremos um filme levando mais de 5 estatuetas. A disputa tende a ser acirrada entre ‘O Regresso’ e ‘Mad Max’, que se confrontam em 10 categorias, com Star Wars VII correndo por fora nas categorias técnicas.

Melhor Filme

Concorrem: Mad Max, O Regresso, O Quarto de Jack, Spotlight, A Grande Aposta, Ponte dos Espiões, Perdido em Marte e Brooklyn.

Fica entre: O Regresso e Mad Max

Leva: O Regresso

02 - Melhor Filme

Começando com a principal categoria, já acho válido deixar registrado que ‘A Grande Aposta’ e ‘Brooklyn’ não deveriam estar aqui. ‘A grande aposta’ tem uma temática interessante, mas desenvolvida de uma forma bem maçante, o que torna o filme chato. ‘Brooklyn’ é só um filme bonitinho, nada além disso.

Aqui começa a epopeia de O Regresso. A meu ver, esse é o filme mais forte da edição de 2015, sendo o favorito para levar, pelo menos 5 categorias e sair como o grande vencedor da noite. O filme conta a história de Hugg Glass, um caçador do oeste americano. No começo da trama, ele é atacado por um urso (baita cena) e, tudo o que se desenrola na história é por causa disso. Uma história de “superação” bem interessante, com vingança e tudo mais.

Melhor Diretor

Concorrem: Alejandro Iñarritu (O Regresso), Tom McCarty (Sportlight), Adam MaKay (A Grande Aposta), George Miller (Mad Max) e Lenny Abrahanson (O Quarto de Jack)

Fica Entre: Alejandro Iñarritu e George Miller

Leva: Alejandro G. Iñarritu

03 - Melhor Diretor

Essa categoria é a que tem a maior chance de acontecer um bicampeonato. Na Edição 2015, Iñarritu levou o prêmio por Birdman e tem tudo para repetir o feito em 2016, agora comandando O Regresso.

O filme foi muito bem construído. As tomadas de câmera me impressionaram muito, principalmente na cena da batalha entre Leonardo DiCaprio e o Urso. George Mille corre por fora, mesmo eu não tendo gostado tanto assim de Mad Max.

Melhor Ator

Concorrem: Bryan Carson (Trumbo), Leonardo DiCaprio (O Regresso), Michael Fassbender (Steve Jobs), Eddie Redmayne (A Garota Dinamarquesa) e Matt Damon (Perdido em Marte)

Fica entre: Leonardo DiCaprio e Eddie Redmayne

Leva: Leonardo DiCaprio

04 - Melhor Ator

Você já ouviu aquele dito popular que diz: “se não for agora, não vai nunca mais?” É mais ou menos a situação que se encontra o Leonardo DiCaprio. O ator, que é alvo das piadas da internet por nunca ter levantado um Oscar, vê em 2016 a sua chance mais clara de título.

Dentre os outros quatro concorrentes, três não são ameaças. As atuações de Bryan Carson, Lichael Fassbender e Mat Damon foram boas, mas nada de espetacular. A única ameaça real que pode aparecer no caminho do DiCaprio tem nome, sobrenome e um Oscar: Eddie Redmayne.

Vencedor da edição de 2015, por seu papel em A Teoria de Tudo, Redmayne volta a figurar como um dos favoritos e, mais uma vez, por um papel de transformação, uma vez que ele apareceu como Lili Elbe, que foi a primeira pessoa da história a passar pela cirurgia de mudança de gênero.

A chance do bi de Redmayne é real, mas acho que DiCaprio ainda está na dianteira. Quem viver, verá.

Melhor Atriz

Concorrem: Cate Blanchet (Carol), Brie Larson (O Quarto de Jack), Saorise Ronan (Brooklyn), Charlotte Rampling (45 Anos) e Jennifer Lawrence (Joy).

Fica entre: Cate Blanchet e Brie Larson

Leva: Brie Larson

05 - Melhor Atriz

Essa é uma categoria que a disputa está polarizada entre apenas duas candidatas. Falando as já eliminadas: Saorise é uma fofa em um filme bonitinho, JLaw é um papel de mulher forte em um filme ok e Charlotte é uma tiazinha em um filme que beira o insuportável de tão chato.

Indo ao que interessa. A atuação de Cate Blanchet em Carol foi boa. Sua principal chance fica por conta do tabu que o filme apresenta. Só que levando em conta a atuação boa, em um filme com uma temática muito mais pesada, a Brie Larson desponta como favorita.

Sua atuação dando vida a uma mulher que foi sequestrada e ficou reclusa durante anos, depois toda a dramaticidade pós-traumática é de mexer com qualquer um. Nessa moda de dizer que tal pessoa é a nova tal pessoa, já estão dizendo que a Brie Larson é a nova Jennifer Lawrence, então já podem esperar essa menina em diversas novas produções.

Melhor Atriz Coadjuvante

Concorrem: Jennifer Jason Leigh (Os Oito Odiados), Rooney Mara (Carol), Rachel McAdams (Spotlight), Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa) e Kate Winslet (Steve Jobs).

Fica entre: Jennifer Jason Leugh e Alícia Vikander

Leva: Jennifer Jason Leugh

06 - Melhor Atriz Coadjuvante

Mais uma vez, a categoria das atrizes está polarizada entre apenas duas.

Na minha concepção, o prêmio para um ator ou atriz coadjuvante, deve ser dado para aquele que ajuda a engrandecer o personagem principal. Certo? Dos cinco filmes, ao meu ver, apenas Jennifer e Alícia fizeram isso com maestria.

Eu gostaria muito que a Alícia Vikander levasse esse Oscar. A Atuação dela em ‘A Garota Dinamarquesa’ é linda, assim como ela. Confesso que não conhecia a atriz, mas já estou apaixonado. Mas, puta merda, a atuação da Jennifer Jason Leigh rouba a cena em os Oito Odiados.

As duas atrizes que eu destaquei na categoria, inclusive, poderiam muito bem estar concorrendo na categoria de melhor atriz principal, nos lugares de Saorise Ronan e Charlotte Rampling. Mas eu sou só um palpiteiro, não sei se isso estaria certo de acordo com as normas da Academia.

Melhor Ator Coadjuvante

Concorrem: Christian Bale (A Grande Aposta), Tom Hardy (Os Oito odiados), Mark Ruffalo (Spotlight), Mark Rylance (Ponte dos Espiões) e Sylvester Stallone (Creed)

Fica entre: Tom Hardy e Silvester Stalone

Leva: Sylvester Stalonne

07 - Melhor Ator Coadjuvante

Mais uma vez, nessa categoria, o merecedor é aquele que ajuda a engrandecer o personagem principal. Tom Hardy é o grande vilão em ‘O Regresso’, Christian Bale não chama a atenção em ‘A Grande Aposta’, o mesmo vale para Mark Rylance em ‘Ponte dos Espiões’ e, mais uma vez, Mark Ruffalo não vai levar. Teve chance no ano passado, nesta mesma categoria com ‘Foxcathcer’ e não vai ser por conta de ‘Spotlight’ que ele leva o Oscar.

Nessa toada toda, o grande favorito é Sylvester Stallone, que pela sétima vez na história, aparece como Rocky Balboa em um filme. A diferença dessa vez é que ele surge para ajudar o jovem Adonis Johnson, filho de seu amigo Apollo Creed. O papel de Stallone nesse filme só veio a engrandecer a atuação de Michael B. Jordan, por isso que ele desponta frente aos outros.

Melhor Roteiro Original

Concorrem: Ponte dos Espiões, Ex-Machina, Divertida Mente, Spotlight e Straigh Outta Compton.

Fica entre: Ponte dos Espiões e Spotlight

Leva: Spotlight

08 - Melhor Roteiro Original

Puxando a sardinha pro lado do jornalismo, ‘Spothlight’ foi, de longe, o meu filme predileto de todos os que concorrem ao Oscar, mas eu sei qual é a real dimensão dele. Ele não tem força suficiente para levar como melhor filme, nem nas categorias de ator e atriz coadjuvantes, uma vez que nenhum dos indicados se destaca individualmente. É um filme construído em cima do grupo, não do individual.

Mas, se tem uma categoria que ele chega forte, essa é a categoria. Ao tratar de uma temática tão séria, quanto a existência de abuso sexual dentro da igreja católica, ‘Sportlight’ chama muito a atenção. A forma que o texto é desenvolvido, mostrando como funciona o real jeito de se fazer jornalismo, é de deixar o espectador vidrado do começo ao fim.

Melhor Roteiro Adaptado

Concorrem: A Grande Aposta, Brooklyn, Carol, Perdido em Marte e O Quarto de Jack.

Fica entre: Carol e O Quarto de Jack

Leva: O Quarto de Jack

09 - Melhor Roteiro Adaptado

Dentre os meus dois favoritos, duas temáticas fortes aparecem. Em ‘Carol’ a homossexualidade na década de 50 é retratada. Em ‘O Quarto de Jack’, uma mulher é sequestrada ainda jovem, mantida em cárcere privado por anos, tem um filho de seu abusador e ainda tem toda a situação pós-traumática no desenrolar do filme.

Tema forte por tema forte, ‘O Quarto de Jack’ apresenta mais elementos.

Melhor Animação

Concorrem: Anomalisa, Divertida Mente, Shaun – O Carneiro, O Menino e o Mundo e As Memórias de Manie.

Fica entre: Anomalisa e Divertida Mente

Leva: Divertida Mente

10 - Melhor Anomação

Essa talvez seja a única barbada do Oscar 2016. Não tem a menor chance de ‘Divertida Mente’ não levar a estatueta.

‘Shaun – O Carneiro’ é aquele desenho bonitinho que a gente assistia na Cultura. ‘As Memórias de Manie’ é chato demais. ‘O Menino e o Mundo’ é lindo esteticamente falando, mas a história (?) é bem chata também. Se tem alguém que poderia, mas bem lá de longe, ser uma ameaça, seria ‘Anomalisa’, que é um estilo de animação diferente, mas também não é lá grandes coisas.

Digo que ‘Divertida Mente’ é o favorito não por quê ele é uma produção da Pixar, mas por sua temática. Um filme “infantil”, que retrata perfeitamente como são as etapas da depressão é de encher os olhos de qualquer um, seja de encanto ou de lágrimas.

Melhor Documentário em Curta Metragem

Concorrem:  Body Team 12, Chau – Beyond the Lines, Claude Lazzman – Spectres of the Shoah, A Girl in a River – The Price of Forgiveness e Last Day Of Freedom.

Fica entre: Não sei

Leva: A Girl in a River – The Price of Forgiveness (chute)

11 - Melhor Documentário em Curta Metragem

Essa é a primeira categoria que eu vou pura e simplesmente no chute. Não consegui achar nenhum dos documentários em curta para assistir. Optei por esse doc por conta de sua sinopse, que foi o que mais me chamou a atenção: “Mais de 1000 mulheres são mortas em nome da honra no Paquistão todos os anos. Esse documentário mostra a história de uma rara sobrevivente que se apaixona e vive para contar a história”.

Melhor Documentário em Longa Metragem

Concorrem: Amy, Cartel Land, O Peso do Silêncio, What Happened, Miss Simone? e Winter on Fire – Ukranie’s Fight for Freedom

Fica entre: Amy e Winter on Fire

Leva: Amy

12 - Melhor Documentário em Longa Metragem

Ao contrário dos curtas, os documentários em longa foram fáceis de achar, uma vez que quatro dos cinco estavam disponíveis no Netflix, que foi o responsável pela produção de dois deles.

Dentre os indicados, o documentário que retrata a vida e a carreira da cantora Amy Winehouse foi o que mais chamou a atenção, principalmente pela maneira que ele fora desenvolvido. Ao usar apenas imagens da cantora, o que inclui diversos filmes caseiros, atrelando isso a entrevistas de conhecidos, além da voz da própria Amy, deixou o produto redondinho.

Melhor Longa de Filme Estrangeiro

Concorrem: A Guerra (Dinamarca), Cinco Graças (França), O Filho de Saul (Hungria), Theeb (Jordânia) e O Abraço da Serpente (Colômbia)

Fica entre: O Filho de Saul e Cinco Graças

Leva: O Filho de Saul (chute)

13 - Melhor Filmes Estrangeiro

Essa categoria eu tive problema em ver os filmes, só consegui três em cinco. Dos que eu vi, Cinco Graças foi o que mais me agradou. A Guerra é um filme meio chatinho e Theeb é chato para um cazzo.

Na hora de apostar, estou dando um tiro no escuro, uma vez que não assisti O Filho de Saul. Estou indo nele por conta de sua trama, que é a mais pesada entre os indicados:  “1944, campo de concentração de Auschwitz, durante a Segunda Guerra Mundial. Saul (Géza Röhrig) é um judeu obrigado a trabalhar para os nazistas, sendo um dos responsáveis em limpar as câmaras de gás após dezenas de outros judeus serem mortos. Em meio à tensão do momento e às dificuldades inerentes desta tarefa, ele reconhece entre os mortos o corpo de seu próprio filho.”

Melhor Curta Metragem

Concorrem: Ave Maria, Day One, Everything Will Be Ok, Shok e Stterer

Fica entre: Não sei

Leva: Day One (chute)

14 - Melhor Curta Metragem

Nessa categoria eu fechei o olho e metia bicuda. Escolhi esse pela sinopse: “Em seu primeiro dia no Afeganistão, uma intérprete do Exército Norte Americano é forçada a entregar a criança de um fabricante de bombas inimigo”.

Melhor Curta de Animação

Concorrem: A História de Um Urso, Prologue, Os Heróis de Sanjay, We Can’t LiveWithout The Cosmos e World of Tomorrow

Fica entre: Não sei

Leva: Os Heróis de Sanjay

15 - Melhor Curta em Animação

Não achei nenhum deles para assistir, mas como Os Heróis de Sanjay é produzido pela Pixar, deve ser bom. Seja o que os deuses hindus, nesse caso, quiserem.

Melhor Canção Original

Concorrem: The Weekend (50 Tons de Cinca), J. Ralph & Anthony (Racing Extinction), Sumi Jo (Youth), Sam Smith (007 contra Spectre) e Lady Gaga (The Hunting Ground)

Fica entre: Sam Smith e Lady Gaga

Leva: Lady Gaga

16 - Melhor Canção Original

Acho que dá Lady Gaga por motivos de: é a música que eu achei mais legal.

Melhor Fotografia

Concorrem: Carol, Mad Max, O Regresso, Sicario e Os Oito Odiados.

Fica entre: Mad Max e O Regresso.

Leva: O Regresso

17 - Melhor Fotografia

Eu só fui descobrir o real significado do Oscar de Melhor Fotografia em 2013, quando perguntei para um amigo. Para quem ainda não sabe, segundo o Blog Seleções classifica o filme digno de vencedor da seguinte maneira: “O diretor de fotografia ajuda na escolha da locação e decide quais lentes, negativos e movimentos de câmera devem ser utilizados na filmagem. Além disso, é responsável pela iluminação e pelo enquadramento de cada cena, juntamente com o diretor do filme. Ganha aquele que melhor transpõe para a telona as exigências do roteiro, seja em cores, seja em preto e branco (as produções em PB costumam ser mais valorizadas nesta categoria)”.

Tendo isso em mente, me atentei mais às localidades onde os filmes foram gravados para dar minha opinião. Dentre os cinco indicados, os que mais chamaram a atenção foram ‘Mad Max’ e seu cenário pós-apocalíptico e O Regresso, que se passa nos cenários nevados norte-americanos. A meu ver, as localidades utilizadas em ‘O Regresso’ são bem mais vistosas, nada daquele cenário árido apresentado por George Miller.

Melhor Figurino

Concorrem: O Regresso, Carol, Cinderela, A Garota Dinamarquesa e Mad Max.

Fica entre: A Garota Dinamarquesa e Mad Max

Leva: Mad Max

18 - Melhor Figurino

Nesse quesito eu tenho que dar ao braço a torcer para ‘Mad Max’. Nas outras quatro produções, todos os figurinos foram condizentes com o tema, isso é lógico. Muitas roupas que saltavam a vista, principalmente em ‘A Garota Dinamarquesa’.

O grande porém nesse quesito, é que ‘Mad Max’ usou uma vestimenta que foge totalmente do que foi visto ultimamente nas telonas. Nada de roupas formais, ternos bem cortados e por aí vai. É uma piração total, que condiz com o tema e, ainda assim, se destaca perante os demais

Melhor Cabelo e Maquiagem

Concorrem: Mad Max, O Regresso e O Ancião que Saiu pela Janela e Desapareceu.

Fica entre: Mad Max e O Regresso

Leva: Mad Max

Mad Max and Imperator Furiosa

A disputa nessa categoria é menor, mas é o mesmo que acontece em ‘Cabelo e Maquiagem’. ‘Mad Max’ se destaca por fugir no lugar comum. Mandaram bem nesse quesito também.

Melhor Mixagem de Som

Concorrem: Ponte dos Espiões, Mad Max, Perdido em Marte, O Regresso e Star Wars VII

Fica entre: Mad Max e Star Wars VII

Leva: Star Wars VII

20 - Melhor Mixagem de Som

Outra categoria que eu fiquei confuso pelo significado. Pedindo ajuda ao Blog Seleções mais um vez. Tomando por base essa categoria e a ‘Melhor Edição de Som’, eles explicaram dessa maneira: “São as categorias que mais causam confusão nos espectadores – e as mais difíceis de explicar. O editor de efeitos sonoros coordena a equipe para a captação do áudio (mono, stereo e surround) durante a filmagem (som ambiente e diálogos dos atores) e a sincronia sonora durante a montagem. Também é responsável pela criação de ruídos que não existem na filmagem original e que são incluídos na pós-produção (popularmente conhecidos como sonoplastia). Já o técnico em mixagem deve reunir todos os sons – naturais ou artificiais, captados ou inventados – e misturá-los à música e à trilha sonora, de modo a encontrar o equilíbrio e a harmonia com a história de tudo o que é ouvido e falado”.

Tendo isso em mente, aposto nas duas categorias em Star Wars 7 – O Despertar da Força. Pode ser o lado fanboy falando mais alto? Claro que pode! Mas eu achei que tudo da parte sonora ficou tão encaixadinho no filme. Espero estar certo

Melhor Edição de Som

Concorrem: Sicario, Mad Max, Perdido em Marte, O Regresso e Star Wars VII

Fica entre: Mad Max e Star Wars VII

Leva: Star Wars VII

21 - Melhor Edição de Som

Tudo explicado na categoria de cima ^

Melhores Efeitos Especiais

Concorrem: Ex-Machina, Mad Max, Perdidos em Marte, O Regresso e Star Wars VII

Fica entre: Mad Max e Star Wars VII

Leva: Mad Max

22 - Melhores Efeitos Especiais

Nessa categoria, quatro dos cinco filmes precisaram de muita computação gráfica para atingirem os efeitos que precisavam, mas não tomem isso como uma crítica. Não teria como Star Wars desenvolver um Sabre de Luz (mas seria foda, hein…), como transformarem a Alícia Vikander em robô ou como mandar o Matt Damom para Marte. A computação faz parte do processo.

O que eu achei legal em Mad Max, pelo que eu li e ouvi pelas interwebs, é que muita coisa que foi feita como efeito, foi feita na mão mesmo, sem o uso da computação. O lance da guitarra que solta fogo, por exemplo, rolou mesmo.

Melhor Design de Produção

Concorrem: Ponte dos Espiões, A Garota Dinamarquesa, Mad Max, Perdido em Marte e O Regresso.

Fica entre: Mad Max e O Regresso

Leva: O Regresso

23 - Melhor Design de Produção

Pedindo ajuda mais uma vez ao Blog Seleções, o ‘Design de Produção:” O diretor de arte, ou designer de produção, coordena o figurinista, o maquiador e o iluminador e é responsável pela parte visual do filme, idealizando os cenários e comandando a harmonia de tudo.

Tomando isso como norte, achei o Regresso mais harmonioso como um todo. Só por isso

Melhor Edição

Concorrem: A Grande Aposta, Mad Max, O Regresso, Spotlight e Star Wars VII

Fica entre: Mad Max e Star Wars

Leva: Mad Max

24 - Melhor Edição

Não é todo mundo que sabe disso, mas um filme nunca é filmado da maneira linear que ele chega às telonas do cinema. Ele é, feito por parte e, quando tudo acaba, quem tem o trabalho para juntar tudo e dar harmonia ao produto é a equipe de edição.

Por ser um filme totalmente pirado da cabeça, acho que deve ter dado o maior trabalho para a equipe de edição para deixar o Mad Max redondinho. Não deve ser simples pegar aquela maluquice e deixar tudo bonitinho.

Melhor Trilha Sonora

Concorrem: Carol, Os Oito Odiados, Sicario, Ponte dos Espiões e Star Wars VII

Fica Entre: Ponte dos Espiões e Star Wars VII

Leva: Star Wars VII

25 - Melhor Trilha Sonora

Você escutou a trilha sonora de Star Wars fora do filme? Se não, procure ouvir e você vai entender o motivo da minha escolha. Se você já ouviu, tá ligado, né?

tgf-j8k_p08h2oeajxwpbbmv7eaig4tdhjylazsghu

Comentários

comentário(s)