Pokémon Playhouse – universo Pokémon ao alcance dos mais novos

Navegar por...

Uma das grandes preocupações que os pais tem, principalmente crianças mais novas, é em relação ao conteúdo que seus filhos consomem. Vivemos em uma era onde a informação é encontrada em abundância, mas isso não necessariamente é uma coisa boa. Por mais que queiram blindar as crianças, hora ou outra, algo pode escapar.

Peguemos o Youtube como exemplo. Você pode por uma Peppa Pig ou Galinha Pintadinha para sua criança. Normal, sem riscos. Mas não é bem assim. Por conta de um algoritmo bugado, junto de uma plataforma omissa a essa situação, tem aqueles que se aproveitam do contexto infantil para gerar views (e dinheiro) com coisas que não condizem com aquela realidade.

A solução então pode ser procurar alternativas que sejam boas o suficiente para entreter as crianças sem que os adultos se preocupem com a mensagem. E Pokémon pode ser a chave dessa solução. Não, não falo das batalhas entre os monstrinhos, deixemos isso para mais tarde. Falo de um aplicativo para mobile voltado para um público de até 5 anos.

Quero que você conheça o Pokémon Playhouse. Veja só.

A Torre, um dos ambientes do jogo

A Torre, um dos ambientes do jogo

Como o próprio nome diz, o aplicativo é uma casa de brincadeiras envolvendo os pokémon (lembre-se que pokémon não tem plural. É assim mesmo que se escreve). Aqui, o lado “violento” do desenho fica completamente de fora, cercando a criança de um ambiente lúdico de brincadeiras e passatempos.

Ao todo, o game é dividido em quatro áreas de uma grande casa. Em todas elas, algumas atividades são postas para que as crianças possam brincar. A primeira é a área da Torre, que você pode ver o hall de entrada na imagem acima.

Nela, a criança vai ser designada para dois tipos de atividade. Ao clicar no telescópio, ela é encaminhada para a observação do espaço. O bacana é que esse também é um joguinho, de ligar os pontos, nesse caso. Ao fazer isso, um pokémon é revelado em tela e ele ainda pode ser colorido ao passar o dedo sobre o mesmo, como se ele fosse pintado com uma aurora boreal.

O segundo mini-game está no teatrinho, onde a música é feita. Uma tela com quatro pokémon é apresentada. Debaixo dela, existe uma sequencia com os mesmos, onde a criança clica da maneira como é apresentada. No final, isso é transformado em canção, entoada pelos próprios monstrinhos.

lounge-pokemon-playhouse

O segundo ambiente é o Loungeonde a alimentação e o bem estar dos pokémon também são cuidados. Ao clicar na mesa, que está brilhando na foto acima, você pode alimentar os bichinhos. Divididos em grupos de três, cada um pede um alimento, que vem por uma esteira. É só arrastar e já era.

O segundo game fica nessa maca. Ali, o jogador pode escovar, dar banho e colocar curativos nos pokémon, mediante a necessidade do mesmo.

pokemon_playhouse_Playroom_resize-810x400

O terceiro ambiente é a Play HouseNessa sala, você encontra o maior número de atividades. Na estante, o jogador pode ouvir três histórias, em inglês, de forma interativa. Sabe aquele livro que você abre e uma estrutura pula para fora da página? É mais ou menos assim.

O próximo jogo é o quebra-cabeça, que fica na mesa. Ali, uma paisagem do mundo pokémon é apresentada com alguns espaços em cinza nela. Cada um desses espaço diz respeito a um monstrinho, que está de fora do quadro. O jogador precisa identificar qual é e colocá-lo dentro da imagem.

Por fim, e o mais divertido entre eles, é o de caçada noturna. Com o seu dedo, o toque sobre a tela vira uma lanterna. Você a utiliza para encontrar seis pokémon que estão escondidos no jardim, nas sombras da noite. Ao achar uma dessas sombras, vocês coloca o foco da lanterna sobre ele e o monstrinho é revelado.

DMc0M0BUQAA8uOb

Por último, mas não menos importante, temos o Playground. O espaço é reservado para que os pokémon possam brincar livremente, como todo tipo de brinquedo possível, desde escorregador, até pula-pula. Tudo depende do tamanho de pokémon que você tem.

Ao todo, o jogador mirim poderá contar com mais de 50 pokémon, que nascem através de ovos, assim como anime ou em seus jogos, tipo o Pokémon Go. Conforme você vai realizando as brincadeiras do jogo, os ovos vão rachando. Assim, de tempos em tempos, um novo amigo chega para a festa.

Nessa parte, assim como no desenho, existe uma limitação. O treinador pokémon só pode utilizar seis monstrinhos por vez no Playground, até para que a ordem se mantenha e todos possam brincar.

Apesar de ser totalmente em inglês, as atividades do jogo são altamente intuitivas. Como tudo se resolve na base do toque em tela, ele apresenta zero dificuldade para a interação. Para os pais que cresceram assistindo e jogando Pokémon, esse game é uma excelente maneira de introduzir esse universo, que fez (e faz) parte de nossas vidas, na vida de nossos filhos e afilhados.

Totalmente gratuito, o jogo é encontrado para download tanto para Android, quanto para iOS.


Este post só foi possível com a ajuda de Marilene Melo e de outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui!

Comentários

comentário(s)