Crítica| Raven’s Home

Navegar por...

Spin off. No mundo do entretenimento, esse é um dos termos que mais ouvimos falar. Se você não sabe, spin off é o termo em inglês dado para um obra ou história derivada de uma original. É quando se pega parte de algo e se cria um novo a partir daquilo.

Exemplos nós temos aos montes, mesmo que a prática não seja tão recente. Os Simpsons, por exemplo, surgiram como uma série de curtas do programa The Tracy Ullman Show. The Originals se derivou de Vampire Diaries. Better Call Saul é um spin off de Breaking Bad. E, mais recentemente, tivemos Fuller House, que surgiu de Full House, série dos anos 1980/90.

Com tantos casos que acabaram dando certo, as produtoras continuam apostando nisso. E quem resolveu pegar essa onda foi o Disney Channel, que resolveu dar novas histórias, mais uma vez, a uma das séries prediletas dos brasileiros: As Visões da Raven.

Raven-Symoné, Orlando Brown e Anneliese van der Pol, três dos protagonistas de 'As Visões da Raven'

Raven-Symoné, Orlando Brown e Anneliese van der Pol, três dos protagonistas de ‘As Visões da Raven’

Para quem não lembra, As Visões da Raven foi um seriado que foi ao ar entre 2003 e 2007. Ele contava a história de Raven Baxter (Raven-Simoné), uma adolescente que tinha visões do futuro.

Ela geralmente se colocava em enrascadas, principalmente quando tentava evitar que as coisas acontecessem. E as coisas ficavam ainda mais engraçadas quando seus amigos Eddie Thomas (Orlando Brown) e Chelsea Daniels (Anneliese van der Pol) estavam juntos.

O sucesso da série foi tão grande que, entre 2007 e 2008, a série ganhou o seu primeiro spin off: Cory na Casa Branca. A série era focada em Cory Baxter (Kyle Massey), irmão de Raven na original. Ela ainda contava com Rondell Sheridan no papel de Victor Baxter, pai de Raven e Cory no seriado.

1242911076001_5458177577001_hulu-ravenshome-060217

Elenco principal de Raven’s Home. Raven-Simoné e Anneliese van der Pol voltam para o spin off

Dez anos se passaram desde o fim de As Visões da Raven e o Diney Channel volta a acreditar na série ao lançar Raven’s Home. Assim como aconteceu com Fuller House, Raven’s Home conta a história das crianças, agora já crescidas.

Raven (Raven-Simoné) e Chelsea (Anneliese van der Pol), ambas divorciadas, agora são mães. Ray tem os gêmeos Booker (Isaac Ryan Brown) e Nia (Navia Robinson), enquanto Chels é mãe de Levi (Jason Maybaum).

O humor “bobildo” da série original se mantém. A diferença é que, desta vez, a encrenca é em dobro. Além de Raven, que não contou aos filhos que é uma vidente e usa isso par ser uma boa mãe, Booker também descobriu que nasceu com o dom. Ou seja, a confusão é certa.

Além disso, temos em Nia uma garota forte e independente. Levi, filho de Chelsea, deve ter puxado para o pai. Enquanto Chels segue a linha da amiga com alguns parafusos a menos, o garoto é um pequeno notável, que trabalha muito bem o sarcasmo em suas participações de cena. A série ainda conta com Tess (Sky Katz), colega de Nia e Booker, como participação recorrente.

20229211_1232535200207906_7376212196398426117_n

Todo o elenco, durante uma premiação da Dário Disney

Quem espera algo novo em Raven’s Home, pode acabar decepcionado. A premissa da série é a mesma da original, o que agrada em cheio aos fãs. Ao tentar impedir certas visões, os protagonistas se metem em enrascadas, tirando de forma fácil o riso do espectador.

Ela é leve, ao melhor estilo das comédias que o SBT passa na hora do almoço. É bem interessante ver como os personagens cresceram, mas não perderam a essência ciada há de anos.

Se você procura uma comédia bacana para adicionar em seu catálogo de séries, Raven’s Home é uma excelente pedida.


Este post só foi possível com a ajuda de Marilene Melo e muitas outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui.

Comentários

comentário(s)