Fliperama| Rock & Roll Racing

Navegar por...

Por mais que a tecnologia avance e a qualidade gráfica dos games seja cada vez mais surpreendente, o nostálgico ainda pesa muito neste universo. Nos últimos tempos, vimos bons exemplos disso. A Sega aposta no mundo mobile com jogos tradicionais. O Atari e o Super Nintendo sendo relançados. Isso sem contar os diversos jogos remasterizados.

Aproveitando essa nova toada do mundo dos games, por que não cair de braços abertos na piscina da nostalgia? Para a galera que cresceu jogando vídeo-game, como eu, sempre tem aquele jogo que marcou muito e conquistou um lugar no nosso coração. E é aqui que entra o Fliperama.

Neste espaço, sempre que possível, vamos relembrar alguns jogos que se fizeram presentes na vida dos jogadores e que valem ser recordados. Como primeiro texto, voltaremos ao ano de 1993 para falar de um jogo da Blizzard e que moldou o gosto musical de muitos.

Insira sua ficha e garanta o player 1. Rock & Roll Racing vai começar!

Tela inicial do game mostra, de cara, três dos antagonistas

Assim como todo jogo mais antigo, a premissa de Rock & Roll Racing é bem simples, cabendo a história o torná-lo mais chamativo. O game se passa 2911, exatamente um milênio depois da primeira corrida das 500 Milhas de Indianápolis e 78 após a descoberta de vida inteligente fora da Terra.

O princípio de Rock & Roll Racing foi desenvolvido na terra, porém passado de planeta para planeta ao longo do tempo. A corrida de destruição moderna não funciona a esmo, que fique bem claro. Existe uma comissão, que leva o mesmo nome da competição, que regulamente tudo o que pode ser feito. E como é dito antes de cada corrida: “Let The Carnage Begin”

Ao iniciar o game, o jogador pode optar entre seis jogadores. Cada um deles tinha bonûs em algumas situaões do jogo. O mais comum de ser escolhido era Snake Sanders, o representante da Terra que, por sua vez, tinha bônus de +1 em aceleração e velocidade. Além dele, era possível optar por Cyberhawk, Ivanzypher, Katarina Lyons, Tarquinn e Jake Badlands. Ainda existia um sétimo personagem secreto dentro do game, Olaf, do game Lost Vikings.

O campeonato em si ocorria em seis planetas distintos e, assim como os jogadores, cada um tinha sua particularidade. Durante as corridas, um dos obstáculos eram poças que ficam nas pistas. Algumas, como a do planeta Nho seguravam o carro, fazendo com que ele ficasse mais lento quando passava sobre elas. Outras, como a do planeta Chen VI, fazia com que o competidor perdesse o controle e girasse algumas vezes.  Além dos já citados, ainda tínhamos corridas em DrakonisBogmireNew Mojave e no planeta Inferno.

20228627_10212808755031960_1801572443662614054_n

Pista do planeta Drakonis, onde Grinder X19 era o chefe

Para tornar a disputa (e a história), cada um dos planetas tinha o seu chefão, que deveria ser derrotado no fim do campeonato para que o jogador pudesse avançar de fase. Viper Mackay, Grinder X19, Ragewortt, Roadkill Kelly, Butcher Icebone e J.B Slash eram os personagens a serem batidos. Em todas as corridas, eles são representados pelo carro da cor roxa. Além desses, as corridas ainda contavam com Rip e Shred, os vilões da Terra, que completavam o quadro de competidores.

O jogo ainda apresenta mais três personagens, sendo esses totalmente NPC’s (non-player character). Braddock aparece quando o jogador tenta trocar de planeta, coisa que só acontece quando se acumula a pontuação necessária. Essa é uma das animações mais legais do jogo, mostrando a viagem intergaláctica e a chegada ao novo mundo. Além dele temos os comerciantesFast Eddie é o responsável pela venda de carros, quanto Gordo é quem vendo os acessórios.

Ao longo do jogo, você pode competir a bordo de cinco modelos diferentes de carros. Dirt DevilMarauder são os modelos básicos e se assemelham à jipes. Air Blade é o primeiro mais sofisticado. Sua aparência é semelhante a um foguete. Battle Trak é um muito parecido com um tanque de guerra, enquanto Havac é um tipo de aerobarco.

E como todo bom jogo, você pode incrementar cada vez mais o seu carro. Além de melhorias no motor e nas rodas, os sistemas de armas pode ser upado. Para atacar seu adversário, os carros são municiados com lasers, foguetes, minas terrestres e espinhos. Tudo isso pode ser utilizado para destruir o inimigo, que dá respawn após poucos segundos.

12

Todos os personagens do jogo. Snake Sanders, representante da terra, é o terceiro da primeira linha

Por fim, e talvez um dos pontos mais importantes deste jogo, chegamos na trilha sonora. Fazendo jus ao nome do game, ela é totalmente rock and roll. Todas elas são em 16bits, o que era permitido pela tecnologia da época. Mas isso é o de menos, já que as faixas são inconfundíveis.

Entre elas temos Black Sabbath com Paranoid e Steppenwolf tocando Born To Be Wild. Ainda temos Henry Mancini, George Thorogood and the Destroyers e Deep Purple. A versão do Mega Drive ainda tinha Golden Earring – Radar Love na sua trilha sonora.

Desenvolvido pela Blizzard Entertainment e publicado pela Interplay, Rock & Roll Racing saiu para Super Nintendo e Mega Drive. Posteriormente ganhou uma versão para Game Boy Advanced. Ele é, até hoje, um dos games que mais deixou saudades.

Se você tem a curiosidade de jogar, basta pesquisar por algum emulador. Também tem a opção de jogar online através desse link. A diversão é garantida, para os nostálgicos e para a galera mais nova.


Este post só foi possível com a ajuda de André Cabrero e muitas outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui.

Comentários

comentário(s)