Sega aposta no nostálgico para deslanchar no mundo mobile

Navegar por...

Já tem um tempinho em que eu fiz a crítica do PES 2017 Mobile. Naquele texto, eu destaquei a rivalidade entre as franquias PES e FIFA, que vinha desde os anos de 1990 e perdura até hoje.

Para quem não sabe, esse lance de rivalidade não se restringe apenas a jogos. Ela também alcança o mundo dos consoles. Hoje ela é representada pelo duelo triplo entre PlayStation, Xbox e PC Gamers. Mas antes, na minha primeira geração de consoles, essa briga tinha duas frentes de batalha.

No fim dos anos de 1980, começo dos 1990 a briga era polarizada entre a Sega, fabricante do Mega Drive e a Nintendo, que era a quem fabricava o Super Nintendo. E as duas gigantes japonesas dominavam o mercado dos vídeo-games.

Ou você era fã de Sonic, ou você era fã de Super Mário. Até pelo preço dos consoles, poucas pessoas podiam aproveitar a diversão de ambos.

Clássico duelo entre Sonic e seu antagonista, o Ivo Robotnik ou mais conhecido pelo pseudônimo de Dr. Eggman.

Com o passar do tempo, a Sega deixou o mercado dos consoles e, com isso, a Nintendo sobrou, ganhando o espaço deixado pela sua rival. Mas nem por isso seus jogos deixaram de ter um significado especial para aqueles que os jogaram quando criança.

É sempre bom lembrar que a Sega não era uma empresa de apenas um jogo. Tomamos Sonic por base por ser, provavelmente, o jogo mais conhecido feito por eles. Com a Nintendo é a mesma coisa. É muito mais fácil você associar a marca com os jogos do Mário do que com outras franquias de sucesso da Big N. Inclusive, leiam o nosso review de Super Mario Run.

Mas voltando ao tema central deste texto, os saudosistas fãs da Sega tem muito a comemorar. A antiga produtora de consoles anunciou que quer invadir o mundo dos games mobiles, apostando em títulos que fizeram sucesso no passado e, finalmente, chegaram ao século 21.

Através do Sega Forever, alguns títulos foram disponibilizados para tablets e celulares, seja Android ou iOS, com suas jogabilidades adaptadas para este novo mundo. Além do já citado “Sonic the Hedgehog”, de 1991, mais quatro títulos estão disponíveis.

– Altered Beast (1988)

AlteredBeast

O jogo possui cinco fases (cemitério, subterrâneo, gruta, templo e mundo dos mortos) em side-scroll (movimento lateral da tela) e ao final de cada fase deve enfrentar o vilão Neff, transformado em um monstro horrendo e mortal.

A mecânica da jogabilidade era simples. Havia um botão para o pulo e outros dois para ataque (um para socos e outro para chutes). Ao pegar power-ups, o jogador tornava-se maior e mais musculoso, e em consequência, seus ataques tornavam-se mais fortes.

Quando o herói tomava a forma de uma fera, o botão de soco tornava-se o de ataque a longa distância (como projéteis) e o de chute passava a ser o de ataque especial (investidas corpo-a-corpo).

– Phantasy Star II (1989)

38855-Phantasy_Star_II_(USA,_Europe)_(v1.2)-1459670863

O sistema de batalhas é baseado em turnos, permitindo ao jogador escolher os comandos para até quatro personagens. Cada um dos oito personagens presentes no jogo possuem uma série de diferentes armas e armaduras para utilizar, bem como técnicas, que combinam com a “profissão” de cada personagem.

– Kid Chameleon (1992)

unnamed

O enredo é simples. Chegou uma máquina nova no fliperama da cidade. Daquelas que dá a impressão de que podemos entrar nela e jogar. Ela usava hologramas para criar uma realidade diferente da nossa. Todos jogaram, mas a máquina era real demais.

O chefe do jogo escapou e começou a capturar as crianças derrotando-as no jogo. Mas finalmente apareceu alguém para desafiá-lo. Esta é a história de alguém muito rígido para ser derrotado, alguém conhecido como: Kid Chameleon.

O jogador, como Kid Chameleon, progride através de uma série de 103 níveis, sem qualquer possibilidade de salvamento de progresso, que contém uma série caminhos aleatórios, de inimigos mortais e obstáculos. Há também menores não identificados 32 níveis, muitas vezes atalhos secretos.

Seu nível de dificuldade longínquo o coloca entre os 5 jogos mais difíceis do mundo. O jogo inovava tanto nos comercias televisivos, no desafio e na trilha sonora.

– Comix Zone (1995)

ComixZone4

O jogo foi lançado em 1995 em que o Herói é um desenhista de quadrinhos, e de uma certa forma, talvez um artista famoso não pelos desenhos.

A trama acontece quando esse desenhista, cujo nome e Sketch Turner, estava fazendo seus quadrinhos em um dia chuvoso, com muitos relâmpagos e, evidentemente, um relâmpago caiu sobre sua obra, dando vida ao Vilão que ele mesmo criou.

Este vilão condena Sketch Turner a viver em seu próprio quadrinho com a respectiva frase traduzida: “não posso matar você aqui, mas eu conheço um lugar perfeito para fazer isso…”

A partir dai, Sketch começa a viver uma emocionante aentura por dentro dos seus quadrinhos para assim descobrir uma forma de sair de lá e derrotar o vilão, lançando-o de volta aos quadrinhos.

O jogo mistura luta e lógica, coletando objetos e itens para ajuda-lo durante o jogo.

Atualização de títulos

A Sega anunciou que pretende lançar novos velhos jogo de quinze em quinze dias. O próximo título a ser disponibilizado dentro da plataforma Sega Forever é Virtua Tennis Challange, de 2012.

E você, ansioso para que a Sega disponibilize algum jogo? Conta pra gente aí nos comentários.


Este post só foi possível com a ajuda da André Cabrero e muitas outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui.

Comentários

comentário(s)