Série: Faking It

Navegar por...

Oi oi, galera! Voltei! Depois de um enorme drama sem notebook, eis que volto para o mundo da internet com post novinho em folha para vocês (preciso correr atrás, né?).

Sei que vocês estão acostumados com o Lucas comentando sobre série, mas, nos últimos tempos, digamos que me interessei pelo assunto e tenho acompanhado algumas. Uma delas eu gostei muito, tipo, muito mesmo, e por isso resolvi indicar para vocês. Vamos lá?


faking it

Foto: Reprodução

A séria Faking It, traduzido para “Fingindo”, é super nova. Confesso que quando vi a chamada não me interessei muito, “Uma série como uma comédia romântica não deve ser muito legal”, pensei. Mas, como tudo muda quando a gente assiste, eu amei tudo nela, desde o enredo da história até os dramas mexicanos das protagonistas.

Estreada pelo canal da MTV em abril de 2014, foi criada por Carter Covington, o produtor executivo da série. Na época, a MTV havia encomendado apenas oito episódios para a primeira temporada, já que não sabiam se iria emplacar ou não, e após a grande repercussão e uma audiência satisfatória, o canal renovou Faking It para uma segunda temporada, encomendando desta vez vinte episódios, sendo que dez já foram exibidos.

A HISTÓRIA

O drama todo gira em torno do desejo de popularidade de Karma, interpretada pela atriz Katie Stevens. Ela e sua melhor amiga Amy, interpretada pela atriz Rita Volk, estudam no colégio Hester High, o “ser” diferente é se tornar popular. Tentando loucamente se encaixar em um determinado grupo, apelando até para as grávidas, Karma decide fingir que é lésbica e acaba arrastando Amy para a grande cilada, tornando-se o casal lésbico mais popular do colégio. Elas conseguiram ser as rainhas do baile, chocando a mãe de Amy, que é super contra, ao contar que ela e Karma são namoradas.

Amy Karma

Foto: Reprodução

No meio dessa história toda, Karma se apaixona pelo cara mais gato da escola (clichê, não?!), Liam Booker, interpretado pelo ator Gregg Sulkin. Correspondendo aos sentimento da ruiva, eles decidem manter essa relação em segredo, assim Karma ainda seria popular com a história das lésbicas e ainda sairia ganhando com o garanhão do Liam como seu amante. Só que, como toda boa história, nada são flores assim. Amy acaba descobrindo que gosta mesmo de Karma e que queria ser sua namorada de verdade, enfrentando uma super barra para decidir se conta a verdade para a melhor amiga ou não. Para isso, a loirinha conta com a ajuda de Shane, interpretado pelo ator Michael Willett, um gay super amigo de Liam que acaba sendo o cupido da série.  Além disso tudo, ainda há o drama da família de Amy, onde acaba de ganhar uma irmã, filha do novo marido de sua mãe, Lauren Cooper, interpretada pela atriz Bailey De Young. Quanta coisa, né?!

LIAM KARMA AMY

Foto: Reprodução

Basicamente, a primeira temporada gira em torno da confusão de Amy em relação a gostar mesmo de mulher e ao drama de Karma em querer ser popular e ainda ter o amor do bonitão Liam Booker. No fim, todas as coisas vêm à tona e todo o conto de fadas com alguns segredo vão por água abaixo, rolando brigas, traições e com Amy e Liam enrolados no mesmo edredom. Que surpresa, não?

Os episódios são super curtinhos, já que tem gente que reclama dos episódios longos demais, não ultrapassam 25 minutos. Por conta disso, acabei a primeira temporada em um único dia. A série volta no próximo dia 23, no canal da MTV com a segunda temporada, mas, para quem não aguentar de curiosidade até lá, já tem a segunda temporada completa na internet. Eu já assisti e super recomendo 😉

faking-it_conShane

Foto: Reprodução

OS PERSONAGENS

OPINIÃO

Olha, sendo bem sincera, a série não é indicada para quem “não gosta de relações homo afetivas”. Tem beijo lésbico, tem muitos beijos gays e cenas de sexo, apesar dos personagens estarem no segundo ano do ensino médio. Por que eu gostei da série? Porque ela não é tão clichê assim. O drama é diferente. Não tem uma mocinha apaixonada pelo cara bonitão e alguém tentando separá-los. O drama aqui é bem incomum para muitas pessoas, mas bem comum hoje em dia. A série trata mais do descobrimento próprio, do que gosta ou não gosta e, principalmente, do preconceito da sociedade em relação a homossexualidade. Confesso que de primeira eu não gostei, mas depois você vai assistindo e entendendo o que vai se passando na história e acaba querendo saber mais e mais. Então, se quer uma série diferente, eu recomendo muito Faking It.


E aí, se empolgaram para assistir a série? Espero que sim. Agora, qual série vocês me indicam? Deixem aqui nos comentários ou então nas nossas redes sociais. Até a próxima! signatureWatana

Comentários

comentário(s)