Titans é um bom início para o serviço de streaming da DC

Navegar por...

Até o ser mais otimista do mundo estava com os dois pés atrás para com Titans, a série live action do supergrupo da DC Comics criado em 1964 e que seria a primeira produção do novíssimo DC Universe, serviço de streaming da editora que, desde o anúncio, já teve sua própria dose de pessimismos.

Não dá pra falar que o olhar torto é infundado, as imagens promocionais, trailers e notícias acerca de Titans realmente não convenciam de que teríamos uma boa produção no horizonte. Por sorte as baixas expectativas funcionaram ao favor da série, Titans pode não ser imperdível, mas também não é uma pilha de lixo irreparável.

Criada a seis mãos por Greg Berlanti, Akiva Goldsman e Geoff Johns, Titans acompanha Dick Grayson (Brenton Thwaites), agora um Robin recém-divorciado do Batman, que atua como detetive em Detroit. Ele esbarra na misteriosa Ravena (Teagan Croft), uma garota que se isola por medo dos poderes que tem dentro de si e que não consegue controlar.

titans_03

Enquanto isso, Kori Anders (Anna Diop), a Estelar, acorda na Áustria sem memórias da sua missão que logo se revela ter a ver com as pessoas que estão atrás de Ravena e seus poderes. Peço desculpas pelo spoiler, mas, convenhamos, dois minutos dentro da primeira cena com a personagem e você já saca como ele irá se desenrolar.

Como já joguei esse texto no buraco contando spoilers do piloto, chuto o balde de vez para revelar que Garfield Logan (Ryan Potter), o Mutano, quase não aparece nele. Minha indiferença com essas duas informações que fariam o spoilerfóbico mais melodramático se encolher em posição fetal só mostra o quão problemático o roteiro do piloto de Titans se mostrou.

O roteiro soube introduzir bem Dick e Ravena ao longo dos seus cinquenta minutos, mas sofreu de um terrível problema de foco com Estelar e Mutano. Não, não precisavam ser introduzidos logo de cara. Sim, são personagens importantes, mas dava para ter segurado Mutano para um segundo ou terceiro episódio e reservado Estelar para os dez minutos finais que melhoraria enormemente o ritmo do piloto.

A impressão que ficou foi de um episódio incompleto. Ok, estamos na era do binge watching em que um episódio precisa puxar o outro e isso exige que eles tenham finais mais abertos para instigar o espectador a assistir o próximo, o problema é que: 1) Titans terá um episódio lançado por semana, logo não faz sentido se sustentar demais no binge watching; e 2) final aberto não significa incompletude.

titans_01

Por mais que um episódio precise puxar o outro, você ainda precisa sentir-se, de certa maneira, recompensado quando ele termina. Como bem diz o João no podcast, “um filme é um filme por si só”, o mesmo vale para séries, seus episódios precisam se manter em sua individualidade ao mesmo tempo em que servem a um coletivo. Titans não teve sucesso nesse quesito, não dá pra sentir vontade de assistir ao próximo episódio.

Apesar do problema no tom, devo elogiar os visuais que foram alvos de críticas desde o primeiro material divulgado. A adaptação de Estelar funcionou muito bem em tela, a manifestação dos seus poderes foi um dos momentos mais icônicos do piloto, adquirindo um tom quase que divino e ajudando a construir uma personagem que despontou como uma das melhores até o momento. Thwaites, como Robin, funciona bem também, embora esteja restrito ao mocinho bonitinho amargurado. Aquele personagem feito no piloto automático que não faz mal, mas também não traz nada de novo.

Outra que não acrescenta é Ravena, a personagem composta por Teagan Croft não foge do lugar comum e, ao lado do Mutano de Ryan Potter, não convence de que pode apresentar coisas boas para a série.

Titans tem diversos problemas e que espero que sejam solucionados ao longo dos episódios. E essa frase mostra como é fácil reconhecer o potencial de melhora na série, ela tem tropeços, claro, mas há a chance de melhorar. Como toda série, falta uma afinação melhor entre seus elementos, como se trata apenas do piloto, o que fica a expectativa por uma melhora.

Por hora, é um início promissor.

Como está sua expectativa para os próximos episódios de Titans? Deixe seus comentários!


Ajude o Junta 7 a crescer participando da nossa campanha de financiamento coletivo do Padrim. Para participar e conhecer nosso plano de recompensas, clique aqui!

Comentários

comentário(s)