Um novo amor chamado cinema hispânico

Navegar por...

Se você acompanhou o Junta 7 no fim de 2016, deve ter visto pela home o texto onde eu relato o que aprendi ao ver um filme por dia no ano que acabou. Dentre todas as experiências, uma da mais legal foi ver filmes de outras escolas de cinema, fugindo de Brasil e Estados Unidos.

Puxando de cabeça aqui, lembro de visto filmes da Alemanha, Japão, República Tcheca, Chile, Jordânia, Turquia e por aí vai. Dentre todos os filmes dos países, que até então eram estranhos para mim, uma dessas escolas me chamou a atenção: a espanhola.

Se você chegou até aqui já deve estar pensando: “mais um jornalista presunçoso que vai querer desconstruir os filmes do Almodovar…” Errado! Como aquele foi a minha primeira experiência com filmes espanhóis, não fui tão cabeça assim. Mas nem por isso o meu encanto foi menor.

Os filmes que serão citados aqui, como forma de recomendação para que vocês assistam (sério. Assistam), são filmes mais leves, para você desfrutar de um bom tempo frente à TV. Claro que, nem por isso alguns deles terão menos profundidade. Se liga só.

El Club de Los Inconpreendidos – 2014

maxresdefault

De todos, esse é, de longe, o meu predileto.

A princípio, o filme tem uma temática simples, seguindo uma pegada de high school, mas isso vai mudando com o passar dos minutos. Fazendo um paralelo com o cinema americano, ‘El Club de Los Incompreendidos‘ tem suas semelhanças com ‘The Breakfast Club‘ (Clube dos Cinco).

O filme conta a história de Valeria, que se muda para Madrid após o divórcio dos pais. Na nova escola, ela é obrigada a fazer parte de uma reunião com um conselheiro, ao lado de outros estudantes. E é aí que o filme começa.

A vivência dos adolescentes os tornam próximos, começando assim “o clube dos incompreendidos”. Apesar de ser um filme para um público mais jovem, ele trata de assuntos pesados e certos momentos, como relações entre adultos e menores de idade e tentativas de suicídio.

Como eu disse: não se deixe enganar pela capa do filme. Este é um daqueles que se tornam obrigatório ver.

Ahora o Nunca – 2015

58

Tá. Esse aqui está na lista por ser muito bonitinho. ‘Ahora o Nunca’ é uma comédia romântica estrelada por Dani Rovira (que parece ser um galã espanhol, pelos filmes que vi) e María Valverde (<3).

O casal Eva e Alex decidem se casar em uma pequena cidade inglesa. E é claro que nada seria tão simples. Uma greve dos controladores de voo espanhóis impede que o noiva vá de encontro com sua futura esposa. E aí que a confusão começa.

O filme trabalha com três núcleos de atuação: o do noivo (que se mete em uma série de acontecimentos hilários, passando por diversos países), a da noiva (que acaba dormindo com outro na despedida de solteira) e a da família do noivo (bagaceira pura, como diria Thaynara Og).

Mesclando momentos engraçados e fofos, ‘Ahora o Nunca‘ também é uma boa pedida.

Ocho Apellidos Vascos – 2014

ocho-apellidos-vascos-dani-rovira-clara-lago-carmen-machi_mdsima20140331_0382_9

E eis que Dani Rovira ataca novamente. Rafa é um jovem sevilhano (região de Sevilha, na Espanha) que se apaixona por uma dançarina do País Basco e se apaixona perdidamente por ela.

Ao tentar conquistar a garota, ela larga tudo para trás, incluindo seu medo do local desconhecido, e vai atrás dela. Como toda boa comédia romântica, uma série de acontecimentos divertidos acontecem nesse meio tempo.

Na tentativa de agradar o pai da moça, ele até se coloca como líder do movimento separatista basco (para quem não sabe, é uma região que busca independência da Espanha), sempre contando com a ajuda de Merche, uma senhora sevilhana que mora na região.

O filme ainda conta com uma sequência, ‘Ocho Apellidos Catalanes’. Esse se passa na região de Barcelona e tem a mesma premissa do primeiro filme. Outro que vale assistir.

Este post só foi possível com a ajuda de Marilene Melo, que acredita no Junta 7 e tornou-se nossa madrinha Jotinha. Colabore você também clicando aqui

Comentários

comentário(s)