‘Young Sheldon’ e o risco de se contar uma origem

Navegar por...

Quando se trabalha com a ideia de um prequel (eventos que ocorreram antes da obra original), é preciso ser cuidadoso. O fã, geralmente, é muito apegado a uma determinada obra e, quando a derivação não é bem aceita, o caldo entorna.

Peguemos o caso de Star Wars, por exemplo. A trilogia original é amada e defendida a todo custo. Já a trilogia de prequels é altamente criticada, apesar de funcionar e contar toda a história ali passada.

E como já disse aqui no Junta 7, se a série faz sucesso, tornou-se comum as TV’s focarem em um elemento e fazer um spin off (derivação da original) daquilo. E com The Big Bang Theory, do canal americano CBS, não foi diferente.

Um dos personagens mais queridos da série é Sheldon Cooper, interpretado pelo talentoso Jim Parson. Dentro da série, o físico cínico e socialmente incapaz, se tornou um dos grandes destaque de TBBT, a ponto de roubar a cena de outros protagonistas, como Penny (Kaley Cuoco) e Leonard (Johnny Galecki).

O sucesso do personagem é tamanho, que a CBS apostou suas fichas nele para seu novo show. E assim nasceu ‘Young Sheldon’ que, assim como a série original, tem o dedo de Chuck Lorre por trás. Ela conta a “origem” do personagem, em sua infância, como criança prodígio.

CBS_YOUNG_SHELDON_101_IMAGE_CIAN_NO_LOGO_thumb_Master

A história se passa em uma pequena cidade interiorana do Texas, estado americano. Lá, Sheldon (Iain Armitage) mora com seus pais, George (Lance Barber), professor do time de futebol americano da escola e Mary (Zoe Perry), uma dona de casa religiosa. Além deles, Sheldon tem dois irmãos. George Jr. (Montana Jordan), o mais velho, segue os passos do pai no mundo do futebol. Ainda temos Missy (Raegan Revord), irmã gêmea de Sheldon e altamente espirituosa.

A série toda trabalhara em cima da figura da criança prodígio que Sheldon é. Se você assiste The Big Bang Theory, já deve conhecer o currículo do rapaz. Em ‘Young Sheldon’, somos apresentado a sua origem, de um garoto que, aos nove anos de idade, já frequenta o high school, equivalente ao ensino médio americano.

Por seu uma criança de insteligência muito superior as demais, Sheldon se destaca. E poderá causar problemas para ele. Se em sua versão adulta isso já é complicado, imagine para uma criança. Para sua sorte, ele conta com um “escudo” na figura de sua mãe, que tenta, a todo custo, proteger o filho.

Aliás, um dos pontos altos do episódio altos do episódio é a atuação de Zoe Perry no papel de Mary Cooper. Para quem assiste The Big Bang Theory, vai conseguir perceber como a atriz conseguiu pegar os trejeitos e segue o mesmo estilo de atuação que Laurie Mercalf trouxe para a personagem na série original.

22118104_1850284378318557_1874650370_o

O interessante desse spin off é que poderemos conhecer um pouco mais, tanto sobre o próprio Sheldon, quanto de sua família. Na série original, apenas a irmã e a mãe Cooper foram apresentados ao grande público. Sobre o irmão mais velho, confesso que não me lembro dele ter sido citado anteriormente. Já sobre o pai, é de conhecimento de quem assiste a série que o mesmo abandonou a família. E a resposta pode ser dada e, ‘Young Sheldon’.

Diferente de TBBT, o humor aqui é bem mais sutil, nada escrachado e com risadas de fundo, como acontece na série mãe. Como bem disse o Lucas Cabrero em uma conversa que tivemos, o estilo de humor aqui se assemelha a The Goldbergs (2013 – atual).

E, para a felicidade da CBS, a série parece ter agradado. Em seu episódio de estreia, que foi ao ar essa semana, ela começo batendo recordes de audiência. De acordo com o Omelete, o piloto da série teve 17,2 milhões de espectadores, fora ter conseguido segurar 98% do público da série original, já que o episódio passou logo após da estreia da 11ª temporada de The Big Bang Theory. Os números foram o suficiente para garantir o recorde da casa. Desde 2011 que uma série de comédia não tinha uma estreia assim.

E os fãs da série já podem comemorar. O sucesso do piloto foi tão grande, que a CBS encomendou uma temporada completa, que terá 22 episódios. Aqui no Brasil, a série chegará em 8 de outubro. A exibição fica por conta da Warner Channel, mesma casa brasileira da série original.


Este post só foi possível com a ajuda de André Cabrero e outras pessoas que acreditam no Junta 7 e tornaram-se nossos padrinhos Jotinhas. Colabore você também clicando aqui.

Comentários

comentário(s)